Sabemos que a situação atual não se encontra tão positiva quando o assunto são as finanças. Os juros e preços altos têm afetado o bolso do brasileiro. No entanto, o cenário pode ficar ainda pior quando não existe organização e controle.

Organizar as finanças pessoais representa um fator muito importante na vida de todos nós. Quando nos encontramos em dificuldades nesse aspecto, ficamos abalados emocionalmente, o que afeta no âmbito familiar e também no rendimento do trabalho. Mas ao contrário do que pode parecer, alcançar estabilidade financeira não é tarefa complicada, vai depender de seguir algumas tarefas simples.

Se organizar financeiramente significa dar o passo inicial rumo à concretização de sonhos e projetos. Se você deseja começar, mas ainda não sabe como, separamos algumas dicas.  

Ferramenta de controle pessoal

Para começar, tenha em mente que controlar seus gastos, sabendo exatamente para onde seu dinheiro está indo, é fundamental para se manter em dia com as finanças pessoais. Para auxiliá-lo nesta tarefa, existem diversas ferramentas disponíveis, desde aplicativos até mesmo planilhas. A mais comum delas é a planilha de controle de gastos.

Um modelo em Excel poderá te ajudar desde que o mantenha atualizado. Ou ainda, quem não domina a ferramenta, pode fazer uso de uma simples caderneta. Inclua despesas fixas, dívidas, pagamentos, gastos eventuais, entre outros. Nunca deixe nada de fora.

Planilha criada, prepare seu orçamento mensal, adequando os gastos às receitas.

Você sabe utilizar seu dinheiro?

Muitas vezes a preocupação se limita em como ganhar o dinheiro, enquanto não há o mínimo de consideração quando o assunto é a forma correta de usá-lo. Todos conhecemos histórias de grandes milionários que acabaram falidos. Se informar é parte essencial desse aprendizado.

Prioridades

Se seu orçamento está desequilibrado, com gastos maiores que receitas, saiba que é hora de reduzir despesas. Estabeleça suas prioridades. Precisa mesmo gastar aquele montante todo mês, naquele produto que nem faz tanta diferença assim? Reveja, elimine o que não é essencial.

Crie uma reserva de emergência

Sempre nos deparamos com algum tipo de emergência financeira, seja despesa médica, o carro que quebra, ou qualquer outro tipo de acontecimento inesperado que podem abalar totalmente o equilíbrio do orçamento.

Para evitar recorrer à conta corrente ou empréstimos, a melhor opção é criar um fundo de emergência. Para isso, basta poupar uma pequena porcentagem de seus ganhos todo mês.

Crédito fácil? Fuja

Não caia nas armadilhas de linhas de crédito como cheque especial ou cartões, os juros são mais altos. Dinheiro fácil custa caro, nunca esqueça.

Diga não ao empréstimo

Recorrer a empréstimos só mesmo no último nos casos. Muitas pessoas estão tão habituadas a utilizar esse recurso, que fazem pagamento de um empréstimo realizando outro. Muito melhor do que isso é se organizar para poder poupar.

Poupança

Com as finanças sob controle, tente poupar de 10% a 20% de seus ganhos mensais. Adotar esse hábito fará toda a diferença no seu futuro, experimente.

Discipline-se

A dica mais importante é manter a disciplina. É fazendo uso dela que terá comando sobre seus gastos, que saberá quais são suas prioridades e que poderá de fato, fazer com que as outras dicas tenham efeitos reais em seu controle financeiro pessoal.

 

Já imaginou ter uma renda extra sem necessariamente precisar de um segundo emprego? Trabalhar em tempo parcial e ter a possibilidade de alcançar a independência financeira que sempre sonhou? Clique aqui e saiba mais.

Quero Começar